Tomar friagem realmente causa gripe?

      4 comentários em Tomar friagem realmente causa gripe?

Esta idéia tão comum já foi descartada pela ciência atual. Mas como é possível? Por que todo mundo fica gripado no frio? Por que algumas pessoas espirram e ficam com o nariz vermelho depois de sair da água gelada? Drauzio Varella explica no seu site:

A crendice de que o frio e o vento provocam doenças do aparelho respiratório talvez seja fácil de explicar. Sem idéia de que existiam vírus, fungos ou bactérias, nossos antepassados achavam lógico atribuir as gripes e resfriados, que incidiam com maior freqüência no inverno, à exposição do corpo às temperaturas mais baixas.
É possível que a conclusão tenha sido reforçada pela observação de que algumas pessoas espirram e têm coriza quando expostas repentinamente às baixas temperaturas, sintomas de hipersensibilidade (alergia) ao frio, que nossos bisavós deviam confundir com os do resfriado comum.

(…)

A partir dos anos 1950, foram realizadas diversas pesquisas para avaliar a influência da temperatura na incidência de gripes, resfriados e outras infecções das vias aéreas.
Nesses estudos, geralmente realizados nos meses de inverno rigoroso, os voluntários foram divididos em dois grupos: no primeiro, os participantes passavam o tempo resguardados em ambientes com calefação, sem se exporem à neve ou à chuva. No segundo grupo, os participantes eram expostos à chuva, à neve e aos ventos cortantes.
Nenhum desses trabalhos jamais demonstrou que a exposição às intempéries aumentasse a incidência de infecções respiratórias. Ao contrário, diversos pesquisadores encontraram maior freqüência de gripes e resfriados entre os que eram mantidos em ambientes fechados.

(…)

A maior incidência de infecções respiratórias nos meses de inverno é explicada simplesmente pela tendência à aglomeração em lugares com janelas e portas fechadas para proteger do frio. Nesses ambientes mal ventilados, a proximidade das pessoas facilita a transmissão de vírus e bactérias de uma para outra.
A influência do ar condicionado na incidência de doenças respiratórias, entretanto, não segue a lógica anterior. A exposição a ele realmente favorece o aparecimento de infecções respiratórias agudas, mas não pelo fato de baixar a temperatura do ambiente (o ar quente exerce o mesmo efeito deletério), e sim porque o ar condicionado desidrata o ar e resseca o muco protetor que reveste as mucosas das vias aéreas. O ressecamento da superfície do epitélio respiratório destrói anticorpos e enzimas que atacam germes invasores, predispondo-nos às infecções
.”

Podemos dizer então que, para uma pessoa gripada, é mais importante tomar água e assoar o nariz do que ficar se enrolando em mil cachecóis. Além de repouso, evitar aglomerações e lugares fechados (até para não contagiar os outros), e se necessário algum analgésico para aliviar os sintomas (paracetamol e dipirona são mais indicados do que aspirina).

E para prevenir a gripe, assim como o resfriado, um pouco de própolis ou alho na hora certa pode servir muito bem (essa é uma dica pessoal).

Fonte:

Drauzio Varella – Destaques