“Porque o melhor do esporte é torcer”: COMO ASSIM?

Se você quer conhecer o que há de mais podre na pós modernidade, basta não trocar de canal quando começar a propaganda na televisão. O podre não são os anúncios em si, mas o ser humano que está pressuposto neles. Salvo alguns exemplos realmente criativos, a estética do marketing maximiza o que há de mais idiota na humanidade, com o objetivo de fazê-la comprar uma coisa qualquer.

Pra mim, isso é especialmente incômodo nas propagandas de TV a cabo. Numa delas, um cara conta que comprou uma TV, “dessas fininhas”, mas não sabia do que se tratava. Tipo gastou dois, tres conto, chegou em casa e percebeu que a imagem não funcionava, porque era de alta definição. Que sujeito compra uma TV de dois conto sem saber do que se trata? Pois bem, aí ele diz que resolveu, depois do bizarro equívoco, assinar o net HD, e te recomenda fazer o mesmo. Aí eu me pergunto, que valor tem o conselho de um cara que gasta dois mil reais sem saber o que está comprando? Porque eu tenho que escutar esse tipo de coisa? Para que ser humano esse anúncio se dirige?

Volto a lembrar do Tom Zé: “Veja que beleza, a burrice está na mesa”.

Mas o que de fato me motivou a escrever este post foi uma propaganda de um canal de esporte, desta mesma TV a cabo (como qualquer outra, imagino). Depois de várias imagens bonitas de atividades esportivas, frases de efeito, música emocionante, a propaganda finalmente conclui: “porque o melhor do esporte é torcer”. Como assim??

Que idiota pode acreditar numa baboseira dessas? Resposta: todos nós. E, creio eu, principalmente as crianças, que acreditam em qualquer voz bonita bem contextualizada, seja lá qual for o conteúdo. Todo mundo acha que educação é uma coisa importante, pois bem, é esse tipo de coisa que está educando as novas gerações. As propagandas são muito mais poderosas do que os professores.

Qual é o ser humano pressuposto nesta propaganda? Um gordo sentado na frente da TV, sedentário, comendo bolachas diet com presunto gordo e assistindo todos os campeonatos de todas as divisões. Plenamente realizado, inclusive. Essa propaganda olha pra você e diz: “Olá Homer, seja feliz, seja você mesmo!”.

Tanta coisa boa proibida, e isto é absolutamente legal. Pra que jogar futebol, se você pode ficar em casa assistindo, não é mesmo?

Ah, chega de lamúrias, vou pra piscina. Porque o bom do esporte é se mexer.