Para Sarney, nomear parentes é parte dos deveres de um avô

Palavras do Luciano Martins Costa no Observatório da Imprensa.

“Sarney se comportou como um alienado, ou como um personagem defasado na História. Para ele, nomear parentes é parte dos deveres de um avô e pai de família.

A mistura entre o público e o privado está em suas veias, em seu jeito de ver a vida, e ele declara essa convicção tão naturalmente, essa declaração cai tão suavemente no plenário do Senado e repercute tão pouco na imprensa, que torna sem sentido a pesquisa apresentada pela oposição, indicando que 80% dos cidadãos consultados defendem sua saída da presidência do Senado.” (Jornalismo faz-de-conta, 6/8/09)

Leia tudo no Observatório da Imprensa.