Os produtos “ecológicos” são realmente mais caros que os “convencionais”?

Escrever sem café não é fácil. Fui comprar um filtro do pó mágico no supermercado e vi que tinha uma opção “ecológica”, de coloração parda, ao invés do branco tradicional. A modernidade tem uma obsessão pelo branco desde que Semmelweis descobriu a higiene hospitalar. De fato, eu não preciso de um filtro branco, apenas um limpo, posso pegar o produto “ecológico” sem qualquer efeito colateral. Exceto o preço. Não é nada monstruoso, é claro, um real a mais pelo meio ambiente, por que não? Afinal, se o mundo for “pras cucuia” em meio a terremotos, furacões e chuvas de meteoro, pelo menos vou estar com a consciência tranquila.

Mas o problema da consciência é que ela pensa. Aí pensei “mas por que os eco-filtros são mais caros?”. De forma genérica, a resposta vem fácil: “porque o capitalismo suga os recursos da terra sem medir o custo real das coisas, a longo prazo e em termos globais; sendo assim, uma produção sustentável supõe um custo maior dos produtos”. Tá certo, faz sentido.

Mas será que este é um princípio absoluto da natureza, uma irrevogável lei da economia? Será que isto se aplica a todos os casos? Melhor dizendo, e o filtro de café?

Antigamente, o papel era pardo. Não por ser velho (afinal, naquela época o papel de antigamente era novo) mas por não passar pelo tratamento químico com cloro. O cloro é usado para clarear coisas como papel e açúcar, mas é extremamente prejudicial ao meio ambiente devido à sua toxidade. Na sua lavanderia deve ter cloro, utilizado para deixar as roupas brancas.

Enfim, o fato é que o papel ecológico e o açúcar orgânico são mais escuros que os convencionais devido à ausência de tratamento com cloro. Pois bem, o que isto tem a ver? No caso do açúcar talvez pouco, mas no caso do filtro de café, a contradição é evidente. Estou pagando mais por um produto que tem um processo a menos na sua produção.

Ou seja, embora o filtro de café “ecológico” seja mais caro na prateleira do meu supermercado, ele deve ser mais barato em termos de custo. O que isto quer dizer? Como diz a propaganda, “imagem é tudo”.

Hoje o preço das coisas, sabem bem os economistas, não tem tanto a ver com seu custo, mas com seu lugar no imaginário das pessoas. Para alguns isto pode parecer bonito, para outros pode ser um mecanismo de controle dos poderosos.

Eu só posso dizer que há um pacote de filtros brancos em meu armário, um post novo neste blog e algumas perguntas na cabeça.