Muitos artigos científicos sobre câncer têm ligações com a indústria farmacêutica

Mais exatamente, nada menos do que 29% dos artigos científicos sobre câncer podem não ser tão científicos assim. A origem do problema é econômica, mas também revela a fragilidade do sistema de avaliação por pares realizado pelas chamadas revistas científicas.

O possível comprometimento ético-metodológico destes estudos foi verificado, é claro, por um outro estudo, segundo nos relata a Folha de São Paulo:

Quase um terço dos estudos sobre câncer publicados nos principais periódicos do mundo apresentam conflitos de interesse, segundo uma pesquisa publicada nesta semana na edição on-line do “Cancer”. (…)

(…) 17% eram patrocinados por indústrias farmacêuticas e 12% tinham um funcionário entre os autores –e traziam mais resultados positivos. Estima-se que no Brasil os números sejam maiores porque os estudos clínicos são bancados pela indústria. (…)

No Brasil, estudos clínicos devem ser patrocinados pelo contratante –normalmente a indústria interessada no desenvolvimento da droga, diz o pesquisador Ricardo Bretani, presidente da Fundação Antônio Prudente (mantenedora do hospital A.C. Camargo) e do Conselho Técnico-Administrativo da Fapesp.”

Fonte:
Folha Online – Ciência – 29% das pesquisas sobre câncer têm conflito de interesse – 13/05/2009.