Modernidade versus espermatozóides

      3 comentários em Modernidade versus espermatozóides

Estava navegando à toa quando me deparei com vários artigos sobre a fertilidade masculina. Pasmei em perceber muitos fatores da vida moderna interferindo negativamente nos espermatozóides. Acabei fazendo, então, um curioso apanhado de estudos recentes sobre a infertilidade (pelos “artigos relacionados” no portal da BBC).

Pois bem. A modernidade busca a obesidade ou a magreza, evitando sempre o meio termo. Seja por vício, seja por desigualdade social, seja pela moda. Caso você venha a ser gordo, poderá ter problemas no sêmem. Ao menos é o que dizem alguns cientistas do país da gaita de foles:

Um estudo conduzido por pesquisadores escoceses sugere que homens obesos têm espermatozóides de qualidade inferior.” Leia mais

Os escoceses parecem se preocupar muito com seus espematozóides, e acabaram se voltando a curiosas causas uterinas na vida destas células.
Os problemas de fertilidade masculina são determinados no útero materno, sugeriu pesquisa da Universidade de Edimburgo, na Escócia.
Distúrbios genitais comuns como baixa contagem de espermatozóides no esperma e câncer testicular podem estar ligados a níveis de hormônios nos primeiros estágios da gravidez, concluíram os pesquisadores depois de realizarem estudos com ratos de laboratório” Leia mais

Bem, isso se somos meio ratos. (uma observação: o uso do verbo “determina”, lá no início, não parece adequado).

No que mais a modernidade castra nossos pioneiros celulares?

“Poluição reduz número e velocidade de espermatozóides. Pesquisadores da Universidade de Pisa analisaram 10 mil homens durante 30 anos e verificaram que houve uma diminuição no número de espermatozóides, principalmente entre os que vivem em grandes centros urbanos e zonas mais poluídas.” Leia mais

Uh! Essa doeu. Pra relaxar, um banhozinho bem gostoso… mmm, melhor não: banho de banheira pode reduzir fertilidade masculina. Principalmente banhos longos e gostosos. Nossa, que nóia! Deixa de ser estressado, relaxa. É melhor mesmo, porque Pesquisa com ratos-toupeira liga infertilidade a estresse

Aaahhh!

Calma. Na verdade, não é nada do que você está pensando. É apenas um título marketeiro, pra dar ibope. Se você clicar para ler, verá que na verdade:

Os pesquisadores descobriram que a rainha da colônia, onde vivem entre 100 e 300 animais, “intimida” os machos e as outras fêmeas do grupo, causando estresse e induzindo à infertilidade entre os animais.

Os cientistas observaram que o estresse bloqueava a ovulação entre as fêmeas e diminuía a produção de esperma entre os machos

Ufa, pelo menos esta última não era de verdade. E tem mais? Claro:

Consumo de carne com hormônio afeta fertilidade

“Mães que consumiram grande quantidade de carne de boi tratado com hormônios para fomentar o crescimento do animal podem ter filhos menos férteis, sugere um estudo da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos.”

A modernidade é implacável com nossas pobres e flageladas células reprodutivas. E pior, isto pode estar ligado aos nosso filhos, como diz este estudo que liga problemas de fertilidade a bebês com doenças graves. E mais:

“Danos a espermatozóide podem ser passados para filhos. Segundo os cientistas, os pais que bebem e fumam devem estar cientes de que eles estão, potencialmentem, não apenas prejudicando a si mesmos, mas também seus filhos.

De acordo com Matthew Anway, que liderou o estudo, a pesquisa demonstra que defeitos causados pelas toxinas nos genes permanecem na linha reprodutiva da família, afetando até quatro gerações.

O estudo sugere que a saúde do pai tem papel mais importante sobre a saúde das futuras gerações do que se pensavaLeia mais

Caramba! E as mulheres? Estão isentas de perigo? A modernidade também afeta diretamente a fertilidade do gênero feminino? Vejamos:

Uma pesquisa de uma universidade da Holanda afirma que café em excesso pode reduzir as chances de gravidez em mulheres que já têm problemas de fertilidade“. Leia mais

Tem também um estudo dizendo que as condições na infância afetam fertilidade de mulheres:

“As condições em que as meninas são criadas podem afetar sua fertilidade na idade adulta, segundo sugere um estudo recém-publicado de pesquisadores da University College London.”

Pois é. Espermatozóides, homens, mulheres e crianças, todos sujeitos aos prazeres destrutivos que a vida de hoje nos proporciona. A modernidade tenta, é claro, minimizar seus próprios danos, seja maquiando as crateras, seja tapando o sol com a peneira, seja fazendo tratados internacionais para eras distantes, como 2050.

Alguns podem, por exemplo, resolver seus problemas de espermatozóides através da biotecnologia (Cientistas criam espermatozóides a partir da medula e também de embrião).

Para isto, das duas uma: ou chegaremos naquele belo futuro onde todas as pessoas terão acesso às tecnologias de ponta, ou a ciência se desenvolverá e a democracia não.

Mas a ciência talvez não seja a fonte mais adequada de soluções para este tipo de problema. Afinal, o que é a modernidade, senão uma mistura estranha de capital, estado, vida privada e ciência?

Talvez as soluções sejam mais simples do que imaginamos. Veja só, pra terminar nosso breve apanhado de estudos sobre a influência da modernidade na fertilidade humana e, especialmente, em nossas queridas células reprodutivas:

Ejaculações diárias melhoram qualidade de espermatozóide. Homens com problemas de fertilidade deveriam fazer sexo todos os dias para aumentar as chances de engravidar as parceiras, apontou um estudo realizado por pesquisadores australianosLeia mais