A relatividade não é obra de Einstein

      16 comentários em A relatividade não é obra de Einstein

Foi o que afirmou o famoso físico brasileiro César Lattes. A teoria seria de Henri Poincaré, o matemático que teve papel fundamental na teoria do caos, demonstrando que nem tudo é calculável. Lattes critica a influência da imprensa e do lobby na criação de falsos gênios da ciência. Nem o prêmio Nobel e o físico Stephen Hawkings escaparam. Veja trechos da entrevista, retirados de http://www.alfredo-braga.pro.br:


César Lattes

Em entrevista ao Diário do Povo
Campinas, 5 de julho de 1996.

(….)

César Lattes – Einstein é uma fraude. Ele não sabia a diferença entre uma grandeza física e uma medida de grandeza. Uma falha elementar.

D.P. – E onde exatamente ele cometeu a falha da qual o senhor está falando?

César Lattes – Quando ele plagiou a Teoria da Relatividade do físico e matemático francês Henri Poincaré, em 1.905.

A Teoria da Relatividade não é invenção dele. Já existe há séculos. Vem da Renascença, de Leonardo Da Vinci, Galileu e Giordano Bruno. Quem realizou os cálculos corretos para a Relatividade foi Poincaré.

A fama de Einstein é mais fruto do seu lobby do que do seu mérito como cientista.

Ele plagiou a Teoria da Relatividade. Se você pegar o livro de História da Física, de Whittaker, você verá que a Teoria da Relatividade é atribuída a Henri Poincaré e Hendrik Lorentz.

Na primeira edição da teoria da relatividade de Einstein, que ele chamou de Teoria da Relatividade Restrita, ele confundiu medida com grandeza. Na segunda edição, a Teoria da Relatividade Geral, ele confundiu o número com a medida. Uma grande bobagem.

D.P. – Então o senhor considera a Teoria da Relatividade errada? Aquela famosa equação E=MC² está errada?

César Lattes – A equação está certa. É do Henri Poincaré. Já a teoria da relatividade do Einstein está errada. E há vários indícios que comprovam esse ponto de vista.

D.P. – Mas professor, periodicamente lemos que “mais uma teoria de Einstein foi comprovada“…

César Lattes – É a turma dele, o lobby, que continua a alimentar essa lenda. Tem muita gente ganhando a vida ensinando as teorias do Einstein.

D.P. – Mas, e o Prêmio Nobel que ele ganhou por sua pesquisa sobre o efeito fotoelétrico em 1.921?

César Lattes – Foi uma teoria furada. A luz é principalmente onda. Ele disse que a luz viajava como partícula. Está errado, é somente na hora da emissão da luz que ela se apresenta como partícula. E essa constatação já tinha sido feita por Max Planck.

(….)


NOTA:

Em 1948, a Universidade do Brasil, atual UFRJ, recebeu uma carta da Real Academia Sueca de Ciências dirigida a César Lattes. Essa correspondência era sobre a pesquisa da produção artificial de mésons que o físico desenvolvia em parceria com Eugene Gardner, e pela qual a Comissão do Prêmio Nobel de Física vinha demonstrando interesse. A carta só foi entregue ao seu destinatário um ano depois… ficou “esquecida” em certas gavetas e em certos escaninhos das secretarias dos Departamentos e Institutos da Universidade…

Nesse período, o meu parceiro de pesquisa morreu. E como não se dá prêmio póstumo, perdi a oportunidade…

César Lattes, na mesma entrevista

Nesse episódio da carta “esquecida”, seria bastante elucidativo verificar o nome dos que ganharam o Prêmio Nobel de Física nos anos de 1950, 1951 e 1952 (Frank, Cockcroft, Bloch) e reparar quais os tópicos de pesquisa foram destacados nessas ocasiões… não estariam todos exatamente no âmbito das descobertas e dos estudos pioneiros de César Lattes? … ou seria, admiravelmente, apenas mais outra daquelas repetidas e incríveis coincidências alegadas por Gran Bell, Sabin e tantos outros inventores e cientistas judeus?


Se quiser, leia a entrevista toda neste outro site.