A espécie dominante do planeta

      5 comentários em A espécie dominante do planeta

No início dos tempos, a espécie dominante era Deus. Os físicos ainda não descobriram se Deus criou o mundo porque havia cansado de ser dominante, ou se estava buscando ampliar seus domínios.

Mas o fato é que, com o big-bang, surgiu a segunda espécie dominante. Eles pareciam pequeninos músicos que eram também feitos de música. Algo do tipo. De suas melodias surgiram sinfonias que, depois, vieram a se tornar os átomos: a terceira espécie dominante, que rapidamente se espalhou por todo o universo. Nada mais poderia existir, afirmavam, apenas a matéria. Todo o resto seria banido à categoria de “partícula sub-atômica” ou de “metafísica”.

Isso no universo. No nosso planeta, as espécies dominantes já foram muitas. Embora, é sempre bom lembrar, no mundo microscópico pouca coisa mudou – as bactérias mandam há mais de 3 bilhões de anos. Aos nossos limitados olhos, porém, a evolução parece uma sucessão de espécies dominantes.

Bactérias, protozoários, invertebrados, vertebrados, dinossauros, homem. (vamos deixar de lado, no momento, a pouca consistência deste raciocínio evolutivo, para não quebrar a narrativa)

Pois bem, a questão que se coloca agora é: haverá uma próxima espécie dominante? Qual será? Podemos nos precaver de alguma forma? Ou pior ainda:

Será que a próxima espécie dominante já chegou?

Mmmm… vamos deixar a pergunta no ar. Em breve dou minha resposta a ela.